Waldélio da Silva Campos, um esportista por vocação

miroAgosto de 2013: 11 anos da despedida de Waldélio da Silva Campos. Contam os antigos desportistas e Ademar Oliveira Pimenta, o mais velho atleta vivo de Itororó confirma, que foram quatro os abnegados colaboradores do futebol de Itororó de todos os tempos: Amandio Parada Beltrão, Fiscal de Renda do Estado; Eurico Dias Araújo (Luar), caminhoneiro e hoteleiro; Agostinho Costa Santos, político e industrial da área calçadista e Waldélio da Silva Campos, também Fiscal de Renda e professor de Educação Física. Quando completa 11 anos de morte deste grande incentivador do esporte e de Itororó, eu gostaria de exprimir um pouco do que ao longo dos tempos pude absorver de uma convivência amistosa que tive, como vizinho de local de trabalho, com o amigo Waldélio da Silva Campos.

Quero crer que, também na opinião dos dirigentes esportivos de Itororó, o mês de agosto, doravante, não deveria ser simplesmente o mês das comemorações do aniversário político do município de Itororó, mas, sobretudo, uma referência esportiva em homenagem a aquele que foi, sem a menor dúvida, o maior incentivador dos desportos locais, o indelével Waldélio da Silva Campos.

Em agosto de 2002, o nosso Criador chamou para a Glória Eterna a criatura que Ele mesmo colocou em nosso convívio para difundir o nosso esporte e nos alegrar com seu jeito singular de fazer humor, mas que agora nos deixa uma lacuna insuperável.

Nascido em Itabuna, a 26 de novembro de 1919, Waldélio da Silva Campos era filho de César de Oliveira Campos e Adélia da Silva Campos e transferiu residência para Itororó nos anos 40.

Casado com dona Iazinha, deu cumprimento aos ensinamentos bíblicos “crescei e multiplicai”, formando assim uma plêiade familiar de dez membros. O casal, 5 filhas e 3 filhos: Iara Damiana, Maria do Socorro, Adélia, Antonio, José César, Maria das Graças, Jorge e Lourdinha. Família esta a quem ele se referia com todo orgulho porque nunca lhe causou nenhuma amarga, ou qualquer tipo de decepção.

No esporte local Waldélio participou da reunião de fundação do Grêmio Esportivo Social e Cultural de Itororó, onde assumiu a Diretoria de Esportes e a Comissão Técnica, por muitos anos. Seu título social foi sempre o de número 76. Fundou a Associação Atlética 22 de Agosto de Itororó e foi professor de educação física juntamente com o grupo de professores que fundou o Ginásio Juracy Magalhães em 1959.

Na política foi eleito vereador do primeiro Legislativo Municipal onde foi seu 1º Secretário, e o responsável pela lavratura da ata de instalação da Câmara e a posse do primeiro Prefeito Eujácio Simões Viana, em Sessão Solene realizada no dia 07 de abril de 1959, no salão especial do Clube Social de Itororó.

Como funcionário público estadual, lotado na Secretaria da Fazenda, na função de fiscal de renda, exerceu seu ofício por mais de 40 anos, eclodindo com a sua aposentadoria compulsória. Apesar dos dissabores que a função oferece, Waldélio soube muito bem conciliar seu trabalho e as boas amizades.

Como vizinho de trabalho, pude muito bem observar o comportamento hilário daquele cidadão que tinha estampado no rosto um sorriso bem aberto para quem o procurasse. Suas piadas sutis traziam sempre alguma malícia, mas nada de maldade para ferir alguém, era simplesmente a presença do seu espírito esportivo querendo deixar as pessoas bastante à vontade.

Waldélio da Silva Campos foi torcedor ferrenho do Botafogo do Rio de Janeiro, do Janízaros de Itabuna e do futebol de Itororó. Vibrou muito, logicamente, com o sucesso do seu filho Jorge Campos no Botafogo de Itororó, na Seleção de Ipiaú, no Bahia Esporte Clube, no Clube Atlético Mineiro, na Ponte Preta de Campinas, no Esporte Clube Recife e no Itabuna de Profissionais onde encerrou carreira.

Waldélio foi também maçom da Loja Força e União de Itororó e membro da sociedade itororoense com participação ativa em tudo que lhe foi solicitado, inclusive, pela sua caligrafia especial só comparada a de Dona Kardelina do Cartório.

Waldélio da Silva Campos foi homenageado em vida pela Câmara de Vereadores de Itororó que unanimemente aprovou o título de cidadão itororoense propugnado pelo então vereador Tiodomiro Marques Silva. E o então prefeito Gilton Alves, através dos legisladores de Itororó, lhe prestou homenagem dando o seu nome para a quadra poliesportiva da cidade que fica na Praça Josafhát Alves de Oliveira, cujo ponta pé inaugural foi dado pelo próprio homenageado.

Waldélio partiu desta para uma vida melhor no dia 14 de agosto de 2002, aos 82 anos, deixando órfão o esporte local e uma saudade profunda à sua família e aos seus amigos mais próximos. Waldélio, que cujo nome sugeria alegria, agora, em Itororó, é sinônimo de saudade…

 

 

* Miro Marques é escritor, historiador e radialista

jornaldimensao@yahoo.com.br

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário