Um povoado à beira do caos

modelo 1Na semana passada, em um programa na Rádio Jornal de Itapetinga, um morador do povoado de Palmares fez um desabafo que me chamou a atenção e que eu gostaria de compartilhar com os leitores de Dimensão. Segundo o representante do povoado, os moradores daquela localidade não aguentam mais o estado de abandono ao qual a administração municipal os relegou e pedia providências por parte do Sr. prefeito. Citou que a estrada do Cavalo Preto se encontra em total descaso de conservação, com vários mata-burros quebrados e uma ponte que fica localizada distante ums 500 mt da sede da fazenda do sr. Jorge da Cerveja, está quebrada e os passageiros do ônibus que precisam passar por ela são obrigados a descer do veículo, com medo de que ela venha a desabar com o peso do ônibus cheio. E enquanto isto, a patrol que foi doada ao município através do governo fderal pelo PAC 2, se encontra parada na Praça Duque de Caxias, próximo à escola Antonio Curcino, quebrada desde dezembro de 2013. O morador disse ainda que tinha informações de que a prefeitura alegava não ter recursos para consertar a máquina. Reclamou também da saúde – ou da falta de recursos para o setor: Palmares está sem dentista há vários meses, sem medicamentos no posto de saúde, sem um transporte para o socorro das pessoas enfermas com urgência… isto sem falar no aumento dos casos de violência e tráfico de drogas que cresceu assustadoramente nos últimos anos. Havia ainda reclamações pela falta de conservação do banheiro público que está destruído e da ausência do administrador do povoado, que é constante.

No mesmo programa ouvimos ainda a justificativa do administrador do povoado, que deu as suas explicações: em relação à ponte, ele disse que está tendo dificuldade para consertá-la, por ser de madeira e que teria que desmatar e o IBAMA poderia atrapalhar o serviço de reforma… mas o que não dá para entender é porque constantemente se retira de fazenda da região caminhões de madeira e em veículos que seriam locados pela prefeitura de Itapetinga através do administrador. Esta semana foi relatado por moradores do povoado que saiu um caminhão F 4.000, vermelho, carregado de madeira daquela região e a população continua sem ter uma ponte decente e segura para atravessar e aguardando uma explicação por parte do Sr. Uosto, administrador do povoado, pois querem saber onde foi parar o dito carregamento de madeira.

Apesar de hoje residir aqui na sede do município, continuo tendo por Palmares o mesmo carinho de sempre e uma amizade muito grande pelos seus moradores, para os quais sempre fui uma voz forte em busca de recursos que pudessem melhorar a vida daquela comunidade. Assim como o morador usou o rádio para fazer o seu protesto, aproveito também para fazer via Dimensão e pelas redes sociais, pois acho que não podemos cruzar os braços frente ao descaso que estamos vendo destruir aos poucos o nosso município, seu distrito do Bandeira e o povoado de Palmares.

 

 

Ari Curcino – itapetinguense

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário