Um dia para ser lembrado

A quarta-feira foi um dia em que a atenção dos povos do mundo todo esteve voltada para a cidade do Rio de Janeiro. Inaugurava-se naquela metrópole a Conferência Internacional “Rio + 20”, onde estarão presentes, por vários dias, centenas de chefes de estados e milhares de estudiosos e de pessoas interessadas na proteção ao meio ambiente.

Também, na quarta, Brasília chamou a atenção do país para o depoimento do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz Filho, na CPI que apura os crimes praticados pelo contraventor Carlinhos Cachoeira com o provável envolvimento de políticos de vários partidos. Agnelo Queiroz, eleito governador de Brasília em 2010, é natural de Itapetinga, onde viveu com seus pais até formar-se em medicina. Ainda, hoje, grande parte de sua família reside nessa cidade. Daí, o nosso interesse pelo destino político do governador, quase conterrâneo.

Na cidade de Itororó, também, o dia ontem foi de muita festa. Simultaneamente, aconteceram o encerramento dos festejos de Santo Antônio, padroeiro da cidade, e a visita do governador do Estado, Jaques Wagner, ao município. Os dois eventos mobilizaram a população que saiu às ruas para prestigiá-los, com fé e religiosidade por parte dos católicos, e entusiasmo e paixão política por parte dos partidários do prefeito municipal, Adroaldo Almeida.

Na maior conferência mundial que ocorre na cidade maravilhosa, líderes, celebridades e cerca de 50 mil pessoas de todos os países debaterão os rumos do planeta Terra. O internauta, aonde quer que esteja, poderá acompanhar e participar dos trabalhos da conferência por meio das redes sociais e de sites como @psustentavel, @ECOmaisqueVerde e planetasustentavel.com.br.

Para os analistas, a conferência não deverá apresentar ao mundo grandes resultados ou enormes fracassos sobre a discussão do tema desenvolvimento sustentável para as nações, objeto dos principais debates da conferência. Mas, certamente, deverá conscientizar mais o cidadão consumidor para que ele passe a exigir das empresas e dos governos maior respeito ao meio ambiente.

Em Brasília, no Congresso Nacional, onde acontece a CPI do Cachoeira, o depoimento do governador Agnelo Queiroz Filho, embora tenha sido precedido pela leitura de uma bem elaborada peça de defesa de sua pessoa e de seu governo, não conseguiu dissipar todas as dúvidas, levantadas pela mídia e por seus opositores, sobre a lisura da compra da mansão em que reside com sua família, bem como sobre a ligação de alguns de seus assessores com o contraventor Carlinhos Cachoeira.

Em Itororó, a quarta-feira foi de muitos fogos. O encerramento da trezena de Santo Antônio levou muitos fiéis à Igreja matriz e à procissão do Santo Padroeiro. Por treze dias seguidos, os católicos do município e do distrito de Bandeira do Colônia participaram das missas e das bênçãos do Santíssimo que eram realizadas na Igreja Matriz, todas as noites. E, logo após as solenidades religiosas, os fiéis agregavam-se à barraca, erguida em frente à Igreja, para confraternizarem-se e consumirem as guloseimas que eram vendidas em benefício das obras sociais da paróquia.

A partir do meio dia de ontem, os fogos começaram a eclodir com maior intensidade por todo o perímetro urbano. Era o governador Jaques Wagner chegando à cidade para inaugurar mais um posto médico construído com recursos do Estado, desta vez, no Bairro Cabana da Ponte. Também, veio para assinar a ordem de serviço de saneamento e pavimentação do Bairro João Calixto, antiga invasão, localizado ao lado do Hospital e Maternidade de Itororó.

Na segunda rótula da Avenida José Ferreira Pinto, no Bairro Cabana da Ponte, próximo ao posto médico inaugurado, a Prefeitura fez erguer um palanque, de onde as autoridades discursaram, inclusive o governador que não perdeu a oportunidade para falar diretamente a um grupo de professores que, em estado de greve, protestava e tentava chamar a atenção da multidão para a sua causa.

No final do dia, a cidade voltou à calma de sempre. Cansada, a população que participou dos dois eventos recolheu-se para descansar e repousar. Itororó estava satisfeita. Durante todo o dia, havia dado grande demonstração de seu espirito religioso e de seu elevado grau de civismo.

Segundo fui informado, o governador ficou satisfeito com a calorosa recepção que obteve na cidade. Em virtude dos constantes protestos motivados pelas greves, não tem sido fácil para o governador aparecer em praças e eventos públicos, ultimamente. Mas, em Itororó, embora tivesse havido leve manifestação dos grevistas, tudo foi diferente. A cidade o acolheu com muito respeito e carinho, e a sua presença foi bastante festejada. Que o governador retribua a Itororó e ao prefeito, com ações de seu governo, toda a atenção recebida na cidade da carne-de-sol.

 

* Djalma Figueiredo é advogado

djalmalf@hotmail.com

 

 

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário