UESB simula condições de incêndio para treinamento

modelo 1Pelo segundo ano consecutivo, durante a manutenção e troca dos extintores do campus de Itapetinga, a Coordenação de Recursos Humanos (CRH) promoveu um treinamento de combate a princípios de incêndio. O curso é realizado pela engenheira de segurança do trabalho e professora do curso de Engenharia Ambiental, Kátia Iró, oferecendo orientações práticas e teóricas sobre o combate ao fogo, tanto com chamas em gás de cozinha, como em focos de incêndio em gasolina e madeira.

Com a simulação, os participantes conseguem se deparar com as situações de pressão vividas durante o incêndio. Nesta edição, o treinamento ofereceu vagas para a comunidade externa, além de alunos e funcionários da Uesb. “Foi muito proveitoso para nós que não tínhamos os conhecimentos básicos sobre combater incêndios. Se algo acontecer na Universidade, estamos juntos e somos responsáveis por combater o princípio de incêndio”, avaliou o funcionário Orlando Santos.

Segundo Kátia Iró, é fundamental compreender como combater os focos de incêndio e conhecer a pirâmide do fogo, para uso do extintor adequado. “Há incêndios de classe A, B e C. Materiais sólidos, como colchões e madeiras compõem este grupo, já a classe B envolve líquidos, gasolinas, álcool e inflamáveis, e a classe C abarca os equipamentos eletrônicos. Neste último, são usados extintores de dióxido de carbono (Co2). Em papel, plástico e madeiras usa-se extintor de água. Já nos combustíveis, é possível usar tanto o de CO2, como o de pó químico”, explicou a engenheira.

Ainda segundo a professora, estes são os conceitos básicos para a extinção do princípio de incêndio. “No entanto, a primeira coisa a ser feita nessas circunstâncias é resgatar qualquer vítima em potencial, retirando do local, para em seguida combater o incêndio. Bens materiais se perde a qualquer momento, mas vidas não admitimos perder”, completou.

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário