Sonhando com um superávit este ano, LADI apresenta o déficit de 2013

modelo 1Foi muito longa a reunião da noite da quinta-feira, 30, quando a LADI (Liga Amadoristas de Desportes de Itapetinga) reuniu os clubes filiados e apresentou seu déficit financeiro de 2013. O saldo negativo colocou à prova o mandato do presidente Dênis Almeida, que, apesar de não deixar claro sobre a participação em 2014, enfatizou a inviabilidade do projeto amador para a disputa do Intermunicipal.

Dênis começou a reunião com um desabafo prolongado que fez com relação às duras críticas sofridas nos últimos meses. Aos poucos, o encontro contábil foi ganhando espaço para os números, e, que números!… A conta não era muito simples de se entender e os números relacionados às despesas pareciam não ter fim. Com uma folha salarial de mais de 31 mil reais, fora as despesas extra salário, a LADI só acumulava débitos no seu orçamento. Os números revelavam que o planejamento foi feito, mas não cumprido. O presidente não justificou à altura o mau funcionamento do seu planejamento, mas demonstrou insatisfação com as interferências que o secretário de Esportes Joilson Santos fazia nas negociações, ao mesmo tempo em que reconhecia o apoio dado pelo próprio secretário durante o certame intermunicipal. O certo é que a Liga só arrecadava, como receita fixa, 25 mil reais por mês. Assim, a conta não batia e a renda que ainda era muito pequena, não ajudava na diferença.

Para Dênis, a fase crítica da falta de cumprimento do seu plano foi demonstrada no relatório exibido na reunião. Dênis explicou uma conta que havia separado para o demonstrativo, onde mostrava o valor de 15 mil reais. Segundo o presidente, esse foi o número que a Liga gastou com jogadores que, em alguns casos, nem sequer entraram em campo para jogar, entre eles, o zagueiro Rilex e os atacantes Beto Bahia e Jamaica.

 

Resumindo…

A LADI arrecadou, com a seleção, mais de R$ 185 mil na temporada, mas suas despesas chegaram ao incrível número de R$ 234 mil. O déficit de R$ 72 mil ainda deverá ser diminuído, logo após o pagamento do convênio que a prefeitura não depositou nos últimos dois meses, de R$ 50 mil. Dênis ainda disse que os jogadores serão sua prioridade no pagamento da prefeitura e que não ficarão desamparados por muito tempo. Os 22 mil restantes dos débitos deverão ser cobertos por meio de eventos realizados pela LADI, com a participação dos clubes.

O discurso final foi bem diferente do inicial. Os clubes garantiram o apoio a Dênis que também garantiu que a prefeitura já deu o seu aval para que o campeonato comece na data programada: em 9 de março de 2014.

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário