Sinditatiba faz reunião com a secretária de Saúde: reivindicando

modelo 1A reunião aconteceu no último dia 16, na Secretaria de Saúde do Município, oportunidade em que os diretores do Sinditatiba estiveram com Débora Irei Santos, a titular da pasta, para tratar de diversos assuntos ligados aos servidores municipais lotados na secretaria sob o seu comando. Uma das reclamações dos diretores do Sindicato é com o atraso constante do pagamento dos servidores da saúde, uma vez que não se está cumprindo a lei trabalhista que obriga o empregador a efetivar o pagamento da folha salarial aos seus servidores no máximo até o quinto dia útil do mês. “A Secretaria de Saúde não vem cumprindo esta prática, deixando muitos servidores em situação difícil e viemos ver com a secretária o que pode ser feito para que este transtorno cesse”, disse a presidente do Sinditatiba, Rita Adriana.

 

A UPA e o Samu

Outro assunto na pauta da reunião foi o da situação dos funcionários da UPA e do SAMU, que estão sem receber o adicional noturno na sua totalidade. “Também tivemos informações de que falta material básico para higienização da Unidade de Pronto Atendimento – a UPA, e que ão se dispõe de EPIS – Equipamentos de Proteção Individual – para os grupos responsáveis pela limpeza dessas unidades de saúde”, comentou um representante do Sinditatiba.

Os sindicalistas também foram em defesa dos motoristas da Secretaria de Saúde, que não recebem diárias quando precisam viajar para algum outro município encaminhando doentes. “A situação é bastante difícil e vem se arrastando. Esses profissionais estão viajando sem receber as devidas diárias e são obrigados a bancarem a sua alimentação com dinheiro do próprio salário para suportarem as viagens. Isto é indamissível e estamos cobrando a regularização desta situação”.

 

Advogado no Sindicato

Oferecendo mais um serviço aos servidores públicos municipais, o Sinditatiba montou o seu setor jurídico dentro da própria sede do sindicato, onde um profissional estará sempre à disposição dos filiados, sem nenhum custo. No primeiro dia de atendimento do setor, mais de 30 pessoas estiveram agendando um horário para discussão de suas demandas trabalhistas.

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário