Servidores do Derba pedem apoio a Comissão Parlamentar na AL

Sem título-1Um ano depois da extinção do Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia, cerca de 150 servidores do antigo Derba realizaram, no final da manhã da quinta-feira, dia 25.02, uma manifestação de protesto no prédio do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, no bairro de Nazaré em Salvador, para cobrar do Governo do Estado o cumprimento de diversas sentenças judiciais em favor da categoria, já transitado em julgado e, portanto, sem nenhuma possibilidade de recurso.
De Itapetinga, dois integrantes do Sindicato da categoria, Luiz Souza e Osmar Freire Guimarães, estiveram presentes.
Com faixas e cartazes, o maior deles com a inscrição “o Governo da Bahia não cumpre decisões judiciais e deixa servidores do Derba angustiados”, os manifestantes, muitos deles idosos, exigiam o pagamento da URV, de diferenças salariais, adicionais de insalubridade e periculosidade e sua incorporação aos salários, além do cumprimento dos precatórios atrasados há dez ou mais anos.
O presidente da Asderba/Sindicato, Nilton Borges Ramos entregou ao Juiz Auxiliar da Presidência do TRT da 5ª Região, Sérgio Ferreira de Lima, um ofício em que pede o cumprimento das decisões judiciais. O documento lembra que “a quase totalidade dos reclamantes é formada por pessoas com mais de 60 anos de idade, sedentas de justiça e muitas com dificuldades financeiras para sobreviver”. O juiz Sérgio Ferreira de Lima desceu de seu gabinete para falar com os servidores, elogiou o caráter pacífico e ordeiro da manifestação e garantiu que o ofício será entregue à Presidente do TRT da 5ª, Maria Adna Aguiar. Assegurou ainda que será marcada uma audiência entre Maria Adna e os dirigentes da Asderba/Sindicato para tratar do assunto.
“A manifestação foi justa, pois os antigos servidores do Derba não podem ficar à mercê do tempo. Trabalhamos praticamente a vida toda no Departamento e de uma hora para outra o governo nos excluiu, desestabilizou a vida de muitos de nós e ainda nos obrigaram a uma rotina totalmente diferente da qual atuávamos. Esperamos que desta vez a gente seja entendido”, disse o itapetinguense Luiz Souza.

Sessão especial
Referência nacional em infraestrutura rodoviária, o Derba foi extinto em 28 de fevereiro de 2015, pela reforma administrativa do governador Rui Costa, aprovada pela Assembleia Legislativa. Com a extinção do Derba, os servidores remanescentes passaram a sofrer perseguição, assédio moral e pressões para se incorporarem a outros órgãos da administração estadual para os quais não estavam capacitados. Os mais idosos, entristecidos com o fim do Derba, passaram a sofrer de doenças psicossomáticas como depressão e ansiedade. Também aumentou o quadro de enfermidades cardiovasculares e hipertensão arterial, conforme o relatório da Gerência Assistencial da Associação Assistencial dos Servidores da SIT e do extinto Derba. A situação funcional desses servidores foi discutida na tarde da quarta-feira, no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), durante uma Sessão Especial convocada pelo deputado Hildécio Meireles, presidente da Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimentismo Econômico e Turismo.
O proponente da sessão foi o primeiro a se pronunciar, apresentando um amplo painel a respeito do Derba, desde 1917, quando foi criado, passando pelas décadas de 1950 a 70, quando o departamento teve grande desenvolvimento com a implantação de oficina central, laboratório de solos, a primeira sede de administração central e as residências regionais de manutenção e conservação.
O parlamentar citou a construção de diversas estradas desde aquela época, perfazendo um total de 20 mil quilômetros. “Ao longo de um século, o Derba chegou a contar com 7,5 mil servidores”, disse Hildécio, lamentando a situação de penúria por que passam atualmente os servidores do órgão, segundo ele e outros oradores, vítimas de pressões do governo, assédio moral.

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário