Serviço de Atendimento Móvel de Urgência comemora dois anos de atividades

modelo 1A terça-feira foi data de comemorações para a equipe que representa o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192. Reunidos na Unidade de Pronto Atendimento Médico, os profissionais celebraram os dois anos de existência do Serviço e de acordo com relatório apresentado, entre novembro de 2011 a outubro de 2013 o Samu realizou 5.300 atendimentos por agravo.

O SAMU é coordenado por Carlos Alberto Ferraz, que chefia uma equipe de servidores distribuídos entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliadores de regulação médica, servidores administrativos e conta ainda com uma equipe médica.

Na opinião do responsável pelo SAMU em Itapetinga, o sistema tem conseguido corresponder aos objetivos da política nacional de urgência e emergência, que prevê a redução do número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as seqüelas decorrentes da falta de socorro precoce.

Na opinião de Carlos Alberto, a constante capacitação dos profissionais envolvidos com o SAMU é que garante a qualidade do serviço e a humanização do atendimento.

“O atendimento de urgência e emergência realizado pelo Samu, é feito em todos os locais, seja de trabalho, residências e vias públicas, e envolve as Centrais de Regulação, profissionais e veículos de salvamento. A ligação do solicitante é atendida por um técnico da Central, este identifica a emergência e, imediatamente, transfere para o médico regulador. Este profissional faz o diagnóstico da situação e inicia o atendimento no mesmo instante, orientando o solicitante sobre as primeiras ações”, destaca.

 

Conscientização

Reclamando de alguns trotes que ainda são passados para o 192, o coordenador do SAMi chama a atenção da população para a conscientização da importância de só se acionar o serviço em situações de urgência. “Dentre essas urgências estão a ocorrência de problemas cárdio-respiratório, intoxicações, traumas ou queimaduras, ocorrência de quadros infecciosos, maus tratos e trabalhos de partos, casos de tentativas de suicídio, crises hipertensivas e acidentes com vítimas, choque elétrico ou com produtos perigosos. Estamos orientando a população quanto ao trote. Pois o tempo e os recursos gastos com isto, podem fazer com que atrase o atendimento de um paciente em situação imediata à vida”, concluiu Carlos.

Atualmente, Itapetinga conta com uma frota composta de uma Unidade de Suporte Avançado (UTI Móvel) e uma Unidade de Suporte Básico.

(Com informações da Ascom)

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário