Seleção quebra tabu e avança no Intermunicipal

modelo 1Enfim, o torcedor itapetinguense lavou a alma contra o seu principal oponente dos últimos tempos no campeonato Intermunicipal, a seleção de Porto Seguro. A vitória de 3 a 1, conquistada na rodada anterior na cidade do adversário colocou os itapetinguenses como favoritos jogando em seus domínios.

O favoritismo não parecia, mesmo, ser um fator que intimidasse os visitantes. Porto não se restringiu e, o tempo todo, buscava o campo itapetinguense. A partida era equilibrada e algumas chances para cada lado, fazia do jogo perigoso uma alternativa intrínseca na vontade dos visitantes. Porto Seguro queria, mais uma vez, ser um adversário inconveniente e sabia que o histórico recente entre as duas seleções lhe era favorável.

O que não era favorável era a nova oportunidade entre as duas seleções pois os tricolores, como nunca se viu entrou em campo com vantagens técnicas e emocionais contra o seu maior algoz dos últimos anos. O jogo acabou mesmo ficando interessante no segundo tempo. O cronômetro passava e Porto Seguro precisava, ainda mais, fazer os seus necessários gols. Mas a exposição, que era inevitável, acabou gerando mais espaços que foram mal aproveitados pelos itapetinguenses no primeiro tempo. Um dos jogadores mais criticados nas últimas partidas, o meia Miller, abriu o placar após uma bola desviada na defesa.

O atacante André era mesmo a principal referência do time de Itapetinga e, nem ele e nem o time, demonstrou metade do que havia feito no primeiro confronto entre as duas equipes em Porto Seguro. Mas uma mudança acabou se dando bem com o jogo aberto. Dono de bons passes e com características ofensivas, Buguelo entrou pra qualificar o último passe. O baixinho não jogava há três partidas e entrou como se não sentisse a falta de ritmo.

O artilheiro André, mesmo sem atuar com brilhantismo como em outras partidas, fez o segundo e Buguelo deixou tudo definido para os itapetinguenses. A vitória veio com juros e correções, e pode marcar o fim da era “Porto” no comando das principais seleções do sul e sudoeste da Bahia no Campeonato Intermunicipal.

Agora, o caminho para a final tem duas rodadas a menos e muito mais confiança do torcedor em seu time, e do time nele mesmo.

 

Seleção nas oitavas, mas em crise fora de campo

Quem imaginou que quebrar o tabu dos jogos com a seleção de Porto Seguro traria uma certa calma e estabilidade à seleção de Itapetinga se enganou. Esta foi mais uma semana marcada por greve dos jogadores, que foram a campo durante todos os dias da semana, mas ficaram de braços cruzados, se recusando a treinar. Novamente a velha queixa veio à tona: falta de pagamento de seus salários. Alguns atletas somavam 60 dias sem receber e outros 30.
A situação é desgastante não apenas para os jogadores que criam toda uma expectativa em torno dos recebimentos, bem como para o presidente da LADI, Dênis Almeida, que não consegue cumprir os prazos prometidos aos atletas. Como se não bastasse, o desgaste respinga também no secretário de Esportes Joilson Santos bem como nos integrantes da Comissão de Apoio à seleção, que estão bastante desgastados com os jogadores da seleção.
Na parte da tarde de ontem, depois de muito disse-me-disse quanto à demora da liberação de mais uma parcela do convênio da prefeitura com a Liga, finalmente saiu o pagamento, mas apenas de 1 mês de cada atleta. O grupo fez um leve treino e viaja na tarde deste sábado para Maragogipe, onde enfrenta seu novo adversário no Estádio da Glória. Apesar de todo o desgaste em torno do episódio dos pagamentos, o grupo está focado e acredita que vencerá o adversário do Recâncavo.

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário