Secretaria de Saúde alerta:

denqueA Secretaria Municipal de Saúde de Itapetinga enviou comunicado à redação de Dimensão esta semana dando conta de que o município encontra-se em epidemia de dengue, quando comparado ao mesmo período dos anos anteriores, com 131 casos suspeitos notificados para a Vigilância Epidemiológica no período de 1º de janeiro a 19 de fevereiro deste ano.

Segundo ainda as informações, destes casos, 12 foram confirmados laboratorialmente e 2 descartados. Felizmente, até o momento, não foi registrado nenhum caso de dengue grave, dengue hemorrágica e óbito. O bairro Nova Itapetinga é onde se apresenta o maior índice de casos notificados (34 casos) seguido do bairro Primavera (14 casos).

Diante do exposto, a Vigilância Epidemiológica e o Programa de Endemias da Secretaria de Saúde do município estão realizando ações visando alertar a comunidade e também combater o mosquito. Estão sendo feitas investigações e coletas de sangue; bloqueios costais baseados nas notificações; parceria com a 14ª Dires para desenvolvimento das ações; visitas domiciliares pelo Agente de Endemias com periodicidade de 60 dias conforme preconiza o programa e a sensibilização à comunidade por meio de entrevistas em meios de comunicação.

As equipes montaram ainda atendimento às denúncias, parceria com a Secretaria de Infraestrutura para limpeza dos terrenos baldios; realização de palestras educativas, blitz, distribuição de material informativo para a comunidade e a realização de reuniões periódicas intersetorial para planejamento e avaliações das ações.

“Mas o trabalho vai muito além dessas ações, mesmo com a força das três esferas do governo, nosso trabalho só terá resultado se o morador também se mobilizar. Desta forma, lembramos que a população é um fator primordial para as ações de combate a dengue que incluem evitar jogar lixo em terrenos baldios, lavar a caixa d’água com bucha, escovinha e água sanitária e cobrir com telas, bem como colocar areia em vasos de plantas, manter garrafas viradas, colocar areia nos cacos de vidro dos muros, limpar calhas, lavar os ralos semanalmente com água sanitária e evitar deixar água parada”, argumenta Helaine Cristine Argôlo, Coordenadora de Endemias.

Embora a cidade esteja em período epidêmico da dangue, ainda não há justificativa para a utilização do “carro fumacê” segundo orientações do Estado, através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica.

“Enquanto isto, vamos juntos fazendo a nossa parte, pois costumamos salientar que vivemos uma guerra que só vai terminar quando cada um se conscientizar de seu papel no combate ao mosquito. Estamos à disposição para qualquer esclarecimento ou denúncia pelo contato Secretaria Municipal de Saúde: 3261-8766 / 8765; 3262-1991 (Departamento de Vigilância à Saúde) ou pelo email: vigilanciaasaudeitapetinga@hotmail.com”, acrescentou a coordenadora de Endemias.

Tags:

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário