Rio Catolé em pauta no MP de Conquista:

modelo 1Em Vitória da Conquista, mais uma audiência deu continuidade ao debate sobre o problema hídrico da região. No Ministério Público da cidade vizinha, em reunião ocorrida no último dia 04, definiu-se que, até julho de 2016, um Comitê de Bacia dos Afluentes do Rio Pardo será criado. A decisão, promessa do secretário estadual de Meio Ambiente, Eugênio Spengler, é resultado de uma série de discussões sobre a situação do Rio Catolé, um dos afluentes do Pardo.
A Câmara Municipal de Vitória da Conquista tem participado ativamente do movimento que reivindica a criação de um comitê para tratar de assuntos referentes à bacia do Catolé por meio da atuação do vereador Arlindo Rebouças (PROS). O vereador esteve presente tanto na audiência do Ministério Público de Conquista, como na ocorrida na semana passada, na Câmara Municipal de Itapetinga.
Segundo Rebouças, no dia 26 de novembro, Conquista ainda sediará um seminário regional sobre o tema. A ideia é mobilizar as 18 cidades impactadas pelo Catolé. Para o vereador, a audiência foi produtiva. “O secretário foi bastante franco conosco e entendemos que um Comitê dos Afluentes do Rio Pardo conseguirá dar conta das discussões sobre o Rio Catolé”, disse. Arlindo Rebouças explicou que o comitê congregará os afluentes de ambas as margens do Rio Pardo. Segundo a Constituição Federal, rios que banhem mais de um estado são bens da união e, por isso, são responsabilidades do governo federal mantê-los, enquanto os estados têm competência sobre os afluentes. Assim, a cobrança frente ao governo federal pela manutenção do Rio Pardo abarcará, também, os interesses de proteção ao Rio Catolé.
Participaram da audiência, além de Arlindo Rebouças, vereadores de Itambé, Barra do Choça e Itapetinga. Também presentes o prefeito de Itambé, Ivan Fernandes, o secretário estadual de Meio Ambiente, Eugênio Spengler, e o secretário de Meio Ambiente de Vitória da Conquista, Carlos Teles. Estiveram presentes ainda de Itapetinga, os vereadores Marcos Gabrielli (PT), Amaral Junior (PRP), Renan Coelho (PCdoB) e Fabiano Bahia (DEM). Os ex-vereadores Jerisvaldo Pereira e Gilson de Jesu também foram ao encontro.
Unindo em busca de soluções
Para o vereador do PMDB, João de Deus, presente no encontro em Vitória da Conquista, as discussões avançaram dentro do esperado. “A gente sabe que as coisas não são feitas de um dia para o outro, apesar de estarmos com a necessidade urgente de cuidarmos dos nossos mananciais. Algumas cidades, como Itambé, aqui bem perto, já sofrem com a falta de água. O secretário disse entender a necessidade da criação da Bacia, que na realidade será de todos os afluentes e não apenas do Catolé em si. Mas precisamos continuar vigilantes e cobrando das autoridades”, disse o vereador de Itapetinga.
Também presente no encontro, o ex-vereador Gilson de Jesus, fez uma breve análise do que viu do encontro no Ministério Público. Para ele, somente a mobilização popular vai sensibilizar o governo a respeito da necessidade de o governo olhar para esta região e seus rios. “Com a pressão nas intervenções dos representantes dos municípios banhados pelo Rio Catolé, o secretário de Meio Ambiente do Estado fez compromisso de incrementar ações para proteger as áreas ciliares da nascente do Catolé e, após criar o Comitê do Rio Pardo, previsto para julho, criar a sub bacia do Catolé. Tudo isso pode acontecer se tiver mobilização social e este é outro nosso grande desafio”, comentou.

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário