Policiais Civis de Itapetinga decidem não mais custodiar presos do Complexo Policial

polUma decisão radical, mas necessária, de acordo com o Sindpoc (Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia), será tomada pelos policiais civis de Itapetinga no primeiro dia de março. Os policiais não mais farão a guarda dos presos da justiça custodiados no Complexo Policial.

É o que ficou acordado depois de uma reunião entre os policiais e os representantes do sindicato da categoria.

A alegação é que se trata de desvio de função a custódia de presos por parte dos policiais civis. Outro ponto discutido, e que tem gerado desconforto entre os profissionais, é a questão da superlotação no Complexo Policial, que atualmente está com 80 detentos e que já chegou a mais de 100.

O vice-presidente do Sindpoc, Eustácio Lopes, o Secretário-Geral, Bernardino Gayoso, e o Diretor de Comunicação, Agnaldo Moura, já informaram oficialmente a decisão dos policiais à Juíza da Vara Crime, ao Representante do Ministério Público e ao Presidente da OAB, subseção Itapetinga.

De acordo com Eustácio Lopes, a decisão de não mais custodiar presos em Itapetinga é irreversível e que investigadores e escrivães farão o que a Constituição Federal determina, que é o exercício de polícia judiciária e não de agente de presídio.

Um reclame nesse sentido, lembra o sindicalista, foi informado ao Secretário de Segurança Pública do Estado no dia 06 de novembro de 2012.

Um ato envolvendo os policiais, no dia 04 de março, marcará a entrega da custódia.

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário