‘‘Pirracentos e pirraçados’’

modelo 1Apesar da pouca idade, o fato de ter nascido e crescido no meio político me possibilitou o acompanhamento de decisões cruciais ao destino de uma cidade, alguns casos inusitados e uma verdadeira coleção de histórias e experiências que carregarei para o resto da vida.

Com o anúncio da “União das Oposições”, ocorrido no dia 14 de abril deste ano, recordei-me de um fato ocorrido nos idos de 2002, quando PFL (DEM) e PMDB firmaram aliança objetivando as eleições estaduais.

Como já sabido, Michel Hagge e Paulo Souto são primos carnais e, a despeito deste fato, em apenas uma oportunidade caminharam juntos em uma eleição. Foi justamente nesta ocasião, num dos diálogos que teve com o ex Senador Antonio Carlos Magalhães, que Michel foi satirizado por nunca ter seguido seu familiar.

A resposta, como sempre, foi imediata, reconhecendo que apesar das divergências políticas, Paulo Souto, sempre governou com integridade e que de fato encaminhou obras e realizações para o Município de Itapetinga. Imediatamente ouviu aos risos do sempre irreverente ACM: “Foi para te pirraçar. Fez obra para te pirraçar”. E, por fim, Michel retornou ressaltando que todas as pirraças que gerem benefícios à sua cidade sempre serão bem vindas.

Não narro este faro com o objetivo de reviver ou relembrar antigas rivalidades e arestas mas, sim, para evidenciar como homens íntegros fazem e vivem a política. Atualmente atravessamos um período desértico de líderes que pensam na população, que pensem no futuro, que inovem, solucionem problemas e, principalmente, que sirvam.

Como bem dispõe o autor americano James C. Hunter, “Liderar não é ser chefe. Liderar é servir”. Em breve analogia à situação vivenciada atualmente em Itapetinga, onde não existe qualquer obra ou serviço, só podemos concluir que estamos com ausência de líderes no comando municipal.

Diante de tais fatos, mais um vez o PMDB itapetinguense demonstra um total compromisso com a sociedade, pondo uma pedra nos acordos não cumpridos e nos ultrajes ocorridos no passado, olhando sempre para frente com o único objetivo de mudar este período caótico e de total abandono onde, nem por pirraça, se vê qualquer obra.

 

 

* Rodrigo Hagge é advogado

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário