Pai faz justiça com as próprias mãos e mata suspeito do estupro de sua filha

Uma história que se iniciou com uma acusação de violência sexual contra uma criança de apenas três meses de idade, no Bairro Américo Nogueira, terminou em tragédia nesta sexta-feira, 9.

O suspeito do crime, Tiago Marques Cunha da Silva, de 23 anos, foi morto com três tiros pelo pai da criança, Vilian Cirqueira Santos, de 21 anos.

Tiago estava em casa, na Avenida Milton Rodrigues, bairro Américo Nogueira e recebeu a visita de Vilian. Naquele momento, Vilian sentou-se no sofá da casa e Tiago explicou que nada tinha feito à criança, negando que a tivesse violentado.

No instante em que Tiago disse que iria provar a sua inocência, Vilian sacou de um revólver e fez disparos contra a vítima, que foi atingida com três tiros no peito.

O rapaz chegou a ser socorrido e levado ao Hospital Cristo Redentor, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

 

Entenda o caso

Policiais civis tomaram conhecimento no início da tarde desta sexta-feira, por meio de uma conselheira tutelar, de que uma criança de apenas três meses de idade, do sexo feminino, tinha dado entrada no Hospital Raimundo Perazzo, com suspeita de ter sido abusada sexualmente. Que a mãe teria descoberto o crime quando uma vizinha deu banho na criança.

A mãe da criança, de prenome Jôsy, contou para o delegado Marcus Vinicius de que havia contratado, há oito dias, uma senhora para tomar conta de sua filha durante a noite, período em que ela se encontra trabalhando e que essa senhora era companheira de Tiago Marques.

Em razão disso, Tiago e outros envolvidos na questão foram ouvidos no Complexo Policial e posteriormente liberados. A criança foi submetida a exame e, preliminarmente, o médico plantonista do Perazzo constatou “laceração do órgão genital, com ruptura himenal”.

As investigações para se chegar ao autor do crime apenas tinham se iniciado, quando no período da noite ocorreu o homicídio de Tiago. Familiares e pessoas próximas a Tiago acreditam na sua inocência.

O autor do assassinato, até o fechamento desta matéria, ainda não tinha sido localizado pela polícia.

 

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário