O 1º Sindicato de Trabalhadores Rurais do Brasil surgiu na Bahia

Foi no ano de 1934, no distrito de Piranji, município de Ilhéus, hoje, Itajuípe que foi fundado o primeiro Sindicato de Trabalhadores Rurais do Brasil, sendo seu fundador o socialista Joaquim Cunha Filho, na época, administrador da Companhia Agrícola Wildeberg.

Em 1937, com a aproximação do Governo de Getúlio Vargas com os países nazistas, o Sindicato foi fechado pela primeira vez. Joaquim Cunha Filho foi preso e enquadrado na Lei de Segurança do “estado novo”. A partir daí, o sindicalismo de trabalhadores rurais, que demonstrava estar avançando a cada dia, começou a sofrer repressão do governo e perseguição dos latifundiários e grandes fazendeiros.

Naquela época, a base econômica da lavoura cacaueira, produtora de uma imensa quantidade de divisas para a Nação, era o trabalho de grande contingente de camponeses, originários de diversas partes do Brasil, principalmente de Sergipe e do sertão baiano, que chegavam ao Sul da Bahia trazendo na pequena bagagem o sonho de conquistar um pedaço de terra e ficar rico. Eram conhecidos como contratistas, que recebiam dos chamados “coronéis” uma área de terra para plantar, embora houvesse poucos com “contrato” escrito ou passado em cartório.

Em 1952, em meio ao clima de perseguição, sob a liderança de Carlos dos Santos Frederick, Arlindo Ambrósio Mateus, Carlos Oliveira Maia, João Pedro dos Santos, José Rocha e José Claudino dentre outros, foi fundado o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ilhéus e Itabuna. A atuação do sindicato dava-se com a luta pelas reivindicações e em defesa dos direitos dos trabalhadores da lavoura cacaueira. Muitas greves foram feitas nas grandes propriedades rurais, a exemplo da Fazenda Mocambo, de Manoel Joaquim de Carvalho. Naquela época, o advogado era o próprio dirigente sindical e o fórum era o aceiro ou a sede da fazenda, onde o sindicalista e o fazendeiro debatiam cara-a-cara com os trabalhadores – quase sempre com vitória dos trabalhadores. Nesse período, várias associações de lavradores foram fundadas e a mais conhecida foi a de Serra do Padeiro, em Una, liderada por José Claudino.

Em 1954, foi criada a ULTAB – União dos Lavradores e Trabalhadores Agrícolas do Brasil. Em 1956, aconteceu a II Conferência Sul Baiana de Lavradores e Trabalhadores Agrícolas. Em 1957, o sindicato de Ilhéus e Itabuna foi reconhecido como entidade classista com ajuda do então deputado federal Alaim Melo, do antigo PTB. Com isso, a luta passou a exigir muito mais dos sindicalistas, em quase todos os municípios do Sul surgiram novos associados. Como os recursos eram poucos, Arlindo Ambrósio Mateus, muito versátil, escrevia cordéis relatando a vida e as lutas dos trabalhadores da região. Esses livretos eram vendidos para obter recursos financeiros para manter e avançar na luta e na organização do movimento sindical…

O ano de 1961, foi para a região cacaueira, o palco de muitos conflitos e alguns saldos organizativos importantes, destacando-se os conflitos de Nova Brasília, em Itapebi, e o surgimento da FALTAB – Federação das Associações de Lavradores e Trabalhadores Agrícolas da Bahia e da Liga das Bananeiras em Itabuna, e a realização da 1ª Conferência de Lavradores e Trabalhadores Agrícolas, em Salvador.

De 10 a 13 de maio de 1962 foi realizado o Congresso dos Trabalhadores Rurais, em Itabuna, reunindo delegações de diversos municípios e de outros estados nordestinos. Nesse mesmo ano, surge a Liga Camponesa de Camacã e a ATAC – Associação dos Trabalhadores Agrícolas de Camacã.

1963 foi um ano de muitas lutas. No Sul da Bahia, destacamos o conflito de Belmonte, a fundação das ligas de São José, Itacaré, Ubaitaba, Prado, Caravelas e Poções. Nesse mesmo ano, o então presidente João Goulart assina a Lei 4214, conhecida como “Estatuto do Trabalhador Rural”, cujo projeto foi de autoria do deputado Fernando Ferrari, do PTB.

Com esta Lei, tornou-se mais fácil a fundação de sindicatos e seu reconhecimento pelo Ministério do Trabalho. Nesse período, foram fundados os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Uruçuca, Ipiaú, Ibirataia, Coarací, Almadina, Ibicaraí, Camacã, Mascote, Pau-Brasil, Belmonte e Itororó. (O Jornal da Fetag – Ba, ano III, ago/set 1998-nº 14).

 

Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itororó, Itapetinga e Itambé

Por incentivo do Prefeito Henrique Brito, que vislumbrava o desenvolvimento da agricultura e maior implemento da lavoura cacaueira em Itororó, seu amigo Simão Cardeal de Magalhães participou das várias reuniões classistas que estavam acontecendo diuturnamente em Itabuna e região, a fim de estruturar e fundar o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itororó, Itapetinga e Itambé.

No dia 29 de dezembro de 1963, a entidade foi reconhecida pela FETAG. A primeira diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itororó, Itapetinga e Itambé foi assim composta: Simão Cardeal de Magalhães – presidente; Manoel Messias Ribeiro da Silva – 1º secretário e Antonio Pedro Silva – tesoureiro. Simão Cardeal de Magalhães presidiu a entidade de 1963 a 1973. José Souza Nascimento foi eleito e empossado em 1973. E em 10 de janeiro de 1999 foi eleita a nova Diretoria tendo como Presidente o Sr. Jailton José da Silva, 1º secretário o Sr. José Carlos Nascimento, tesoureiro o Sr. Altino Francisco dos Santos.

Houve reforma estatutária para que essa diretoria que, na opinião dos associados, vinha dando certo, continuasse dirigindo com grande competência a Entidade.

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itororó, Itapetinga e Itambé funcionou com esta denominação até o ano de 1987, quando os Municípios referenciados se organizaram e fundaram seus sindicatos próprios, desmembrados do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itororó.

 

* Miro Marques é escritor, historiador e radialista

jornaldimensao@yahoo.com.br

 

2 Comentários para “O 1º Sindicato de Trabalhadores Rurais do Brasil surgiu na Bahia”

  1. José Alberto Souza
    22 de julho de 2012 às 18:44 #

    Sr Miro Marques,
    Acompanho todas edições dos seus informes, se possivel, descreva através de pesquisas como aconteceu o massacre de “Nova Brasilia” em Itapebi.

  2. MARIA DAS GRAÇAS REIS DA CUNHA
    21 de novembro de 2012 às 12:33 #

    JOAQUIM CUNHA FILHO fundou o 1ª sindicato rural da Bahia, este foi o 1ª sindicato de brasil

Deixe um comentário