Michel Hagge

– O senhor é considerado a maior liderança política da região e é respeitado até pelos seus adversários mais ferrenhos. O que contribuiu para que isso acontecesse?

– A coerência. Hoje os homens trocam de partido como se troca de camisa, então qual é a confiança que o liderado tem em um líder que fica pulando de galho em galho em busca de seus interesses pessoais? Eu sempre fui fiel ao meu partido, o PMDB, lutando com fidelidade e isso inspirou a confiança do povo desta terra e sou respeitado como político sério.

 

– Qual o maior legado que o líder Michel Hagge deixa para Itapetinga, caso encerre sua carreira política?

– O que eu deixarei para minha cidade é um legado de muita seriedade e respeito ao povo e em especial ao dinheiro público.

 

– Como o Senhor tem acompanhado o andamento da CPI da Bernardo Vidal em Itapetinga?

– De longe, pois quando se deu inicio à CPI, foi exatamente o período que precisei me ausentar por conta do acidente. Mas acho um absurdo a prefeitura ter feito um contrato de risco. A prefeitura teria que ter pago à empresa se tivesse ganhado a questão, mas se nada pode provar que esses três milhões vieram para os cofres da prefeitura, então o pagamento foi ilegal. É necessário que a Promotoria Pública tome providências, pois no meu tempo a Promotoria abria inquérito até pelo corte de galhos de árvore e agora milagrosamente o promotor se afastou sem tomar as devidas providências. Outra questão que deve ser observado é o nepotismo, pois todos sabem que Zenóbio é irmão de José Carlos Moura, por que então que a Promotoria deixa um irmão ser tesoureiro do outro?

 

– Com sua experiência em gestão municipal e diante da atual administração, apontada por vários segmentos da sociedade como inoperante, como o senhor analisa o atual governo municipal?

Eu tenho dito em todas as entrevistas que para mim não foi surpresa. Eu sou um homem que veio de baixo, eu vim do trabalho. Quando eu não quis continuar meus estudos, meu pai exigiu que eu fosse trabalhar e assim o fiz. Então eu não acredito em um homem que foi criado sem trabalhar, um homem que nunca trabalhou. Esse prefeito é inoperante e preguiçoso e falta tino administrativo. Eu já sabia disso, o povo de Itapetinga que não quis entender isso.

 

– Na sua opinião qual deverá ser o perfil do futuro prefeito de Itapetinga?

Tem que ser uma pessoa que ame a cidade. Eu só acredito em política com amor. Quem não ama a causa que abraça, não triunfa. É preciso fazer com amor e com idealismo. Primeiro tem que analisar qual o compromisso social que tem com Itapetinga, tem que ter vínculo com a cidade, boa vontade e acima de tudo amor e fazer uma administração séria, fazendo com que Itapetinga tenha obras importantes que ela tanto precisa.

 

– O senhor acredita na união das oposições em nossa cidade para que tenhamos um candidato único e em que pé anda essas negociações?

Eu gostaria que houvesse um candidato de consenso, embora eu ache difícil porque um desses partidos inclusive já lançou candidato e está fazendo campanhas alternativas e vai dificultar essa negociação, pois existem as vaidades pessoais o que complica esse encaminhamento. Se não chegarmos ao candidato de consenso, em abril acontecerá uma eleição com os filiados do PMDB para escolher o representante que eles querem. O candidato escolhido na prévia será o meu candidato.

 

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário