Jovens alvejados por disparos de arma de fogo na Vila Riachão

modelo 1Moradores do Bairro Vila Riachão, na localidade da Travessa Pedro Lima, de 01 a 06, viveram momentos de tensão na manhã desta sexta-feira, 06, por conta de disparos de arma de fogo em via pública, tendo alvejado pelo menos dois jovens (16 e 19 anos), ambos moradores do respectivo bairro.
O adolescente João Paulo Brito Santos, 16 anos, foi atingido em uma das nádegas, por um dos três disparos efetuados em sua direção. De acordo com a Polícia Civil, o autor dos disparos é conhecido como “Bastião da Vila Rosa”, que estava em uma motocicleta pilotada pela pessoa de prenome Dinei.
Mateus Souza Ferreira, 19 anos, foi socorrer o amigo João Paulo que estava em via pública baleado, quando foi também alvejado por um disparo de espingarda calibre 28, que o atingiu no braço esquerdo, causando várias perfurações.
De acordo com a vítima, os autores eram dois indivíduos que estavam armados de revólver e uma espingarda de calibre 28. A vítima disse não conhecer os autores e nem a motivação.
O SAMU esteve na localidade e socorreu as vítimas ao Pronto Socorro do Hospital Cristo Redentor, onde ainda se encontram em observação, fora de perigo.
A Polícia Militar foi acionada assim que ocorreram as ocorrências na Vila Riachão, para onde foi enviada a Guarnição do PETO. A guarnição isolou a área e aguardou a remoção das vítimas.
O delegado Marcos Larocca enviou uma equipe da DT ao hospital e ao Bairro Vila Riachão, para proceder apuração do fato em questão. Os investigadores Sérgio Menezes, Marcos Alcântara, Sisnande Macedo e o escrivão de polícia José Bispo estiveram na localidade das ocorrências e em seguida conversaram com as vítimas, ainda no Hospital Cristo Redentor.
O crime de homicídio tentado contra o adolescente já tem autoria definida. A motivação está sendo investigada. A Divisão de Homicídios já assumiu as investigações. Foi instaurado Inquérito Policial para total apuração do fato.
João Paulo em 29 de julho deste ano, sofreu uma tentativa de homicídio. Ele foi alvejado na cabeça e ficou com a bala alojada, tendo que passar por procedimento em Vitória da Conquista no Hospital de Base. Na época, ele informou a Polícia Civil que estava na companhia de amigos construindo ou limpando uma área destinada a um campinho de várzea na Vila Riachão, quando sofreu o atentado.
Após 90 dias do primeiro episódio, elementos de má conduta continuam querendo matar o adolescente. Nesta sexta-feira, 06, ele foi alvejado por um disparo de arma de fogo em uma das nádegas, mas foram deflagrados vários tiros em sua direção. A Polícia Civil segue investigando a motivação do crime.

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário