Joel de Souza Gomes: um dos primeiros vereadores de Itapetinga

Natural da cidade de Jitaúna – Bahia, Joel de Souza Gomes chegava a Itapetinga por volta dos anos 40, como agente da Rodoviária Ramos, uma famosa empresa à época, na área de transportes de mercadorias, que disputava mercado com outra grande transportadora, a Interbrasil. Orgulhava-se de sua terra que, outrora, motivada pela alta produção da lavoura cacaueira, superava a região leiteira ali onde se separa as terras do sul das do cerrado sertão jequieense. Mas, hoje, com a praga da vassoura de bruxa que se espalhou pelos “frutos de ouro”, as duas regiões se equiparam.

Homem de um só peso e uma só medida, homem de bulas e ampolas como dizia o humorista Chico Anísio, Joel de Souza Gomes era um grande filósofo, gostava de uma piada bem feita e também era o exímio observador das políticas nacional e internacional. Foi ele que me contou que uma das “dez questões” que levaram Jânio Quadros a renunciar o seu mandato de Presidente da República, foi o pedido dos Estados Unidos para que o Brasil invadisse a Ilha de Cuba com cobertura militar dos americanos. Fato que pude confirmar, tempos depois, lendo a Revista Veja.

Nascido no ano de 1917, Joel de Souza Gomes, foi casado com Dona Haydê e tiveram duas filhas e um filho e cumpriram rigorosamente os ensinamentos bíblicos do “até que a morte nos separe”. No final de 1989 ou início de 1990, não estou muito certo disso, almocei com ele em Itabuna, num restaurante popular ali perto do Texaco, quando já estava morando em uma bela faixa de terras que havia adquirido perto do seu mano Plínio, no município de Eunápolis. Disse-me, ele, estar vivendo paradisiacamente, pelo aconchegante local de sua nova moradia. Tinha um pomar onde se podia colher todo tipo de frutas, fresquinhas, a qualquer hora. Foi ai que ele, em tom de brincadeira, me disse: “Haydê me abandonou!” Eu, rapidamente interroguei: “- Mas como assim?” Ele, então, me respondeu: “Deus a levou para Sua Glória”. Era com esse espírito esportivo e descontraído que ele recebia as pessoas que admirava.

O polêmico Joel de Souza Gomes, polêmico pelas suas atitudes e firmes convicções, foi representante da Previdência Social Rural de Itapetinga e Supervisor Regional. Quando não teve mais condições emocionais para dirigir a entidade, devido o suicídio do seu único rebento do sexo masculino, me indicou para substituí-lo, não só na Representação, mas também na Supervisão Regional, pois era eu o Represente da Previdência Social Rural de Itororó, e que segundo ele, reunia as melhores condições de supervisionar o Órgão Federal na região, naquele momento, e o meu modesto nome foi aceito em Salvador, por isso, pra quem não sabe, eu também fui Supervisor da Previdência Social Rural da Microrregião, por um período de 6 meses, com sede em Itapetinga.

modelo 1Joel de Souza Gomes foi eleito vereador da primeira Câmara de Itapetinga juntamente com mais onze parlamentares municipais, conforme a ordem da Ata nº 06 de Posse dos Vereadores eleitos: Rosalvo Coelho dos Santos, presidente, Américo Nogueira de Souza, Natanael Pereira dos Reis, José Silveira, Flávio Figueira, Cordélia Maria de Souza Araújo, Agnaldo Moreira, Manoel Francisco de Almeida, Propércio Alves Botelho, Nehemias Coutinho e Ismael Cruz Lima. Segundo, Emerson Campos em “Itapetinga: a persistente busca de sua história”, todos os aqui citados, compareceram ao cerimonial de assinatura da Ata naquele domingo histórico de 24 de abril de 1955, porém, o vereador Joel de Souza Gomes não se fez presente ao ato. A sua posse, isoladamente, por vontade própria, aconteceu no dia 27, quarta feira, posterior à posse dos outros onze vereadores. Joel de Souza Gomes nunca explicou o porquê da sua decisão, mas a julgar pelo que se pode imaginar, deveria ter algum desafeto presente àquela cerimônia, que poderia ser persona indispensável a Sua Excelência o Prefeito empossado Sr. Juvino Oliveira, mas poderia não ser persona grata ao rebelde parlamentar. Não acredito, entretanto, que isto tivesse acontecido entre a edilidade, pois, com esses, ele teria que conviver, como na verdade conviveu, sem problemas, os quatro anos seguintes.

A Colenda Câmara de Vereadores de Itapetinga, num louvável gesto de reconhecimento aos relevantes serviços prestados por esse líder politico dos primórdios da história emancipativa deste Município, em data de 03 de dezembro de 2009, aprovou, por unanimidade, a proposição transformada em Título Honorífico de Itapetinga, com chancelas dos vereadores Marcos Antonio Gabrielli Correia, João de Deus da Silva Filho e Naara Lima Duarte, sob ordem de Decreto Legislativo nº 012/09, de outorga de Título de Cidadão Itapetinguense ao Sr. Joel de Souza Gomes, quando este comemorava seu 92º aniversário de nascimento.

Nas justificativas, os proponentes desta horaria, assim se expressaram: “São pessoas como essas que a Câmara de Vereadores tem a honra de congratular e deixar arquivado nos anais desta Egrégia Casa, a memória de um homem que teve toda sua vida marcada pela seriedade, respeito ao próximo e comprometimento com o social”.

 

* Miro Marques é escritor, historiador e radialista

jornaldimensao@yahoo.com.br

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário