Expectativas alvissareiras?

indys“ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA…” De tanto insistir, desde a sua fundação, a Associação das Indústrias de Itapetinga é hoje uma entidade que goza de credibilidade nas suas iniciativas, articulações, estudos e atividades em prol do crescimento da cidade de Itapetinga. Destacamos aqui a articulação política e social da AIT que fez surgir em Itapetinga o Fórum das Entidades Não Governamentais. Desta iniciativa foram organizadas as caravanas a Brasília e à capital do Estado para discutir em audiências públicas com o setor empresarial e a classe política, a crise do setor calçadista, representada em nossa região pela Vulcabras|azaleia. Esta ação revelou que ainda temos pessoas e grupos que acreditam numa mudança a médio e longo prazo na diversificação da economia e sua consequente sustentabilidade.

A direção da Associação das Indústrias de Itapetinga tem se mostrado competente na sua organização apresentando aos técnicos da Secretaria do Trabalho Emprego, Renda e Esporte, Secretaria da Indústria e Comércio, Secretaria do Planejamento, DESEMBAHIA e SUDIC uma relação de empresas que desejam investir na região de Itapetinga e dependem tão somente de uma sinalização do Governo do Estado. Acreditamos que se o Governador Jaques Wagner estivesse presente na reunião promovida pela UESB, AIT, Fórum de Entidades e o setor empresarial da nossa Cidade, ele já levaria daqui a certeza que só dependeria do governo estadual para que Itapetinga e região de imediato gerasse cerca de 1,8 mil novos empregos, posto que a AIT já cadastrou as empresas que estão em Itapetinga com capacidade de admitir trabalhadores.

Fica agora a interrogação se os técnicos auxiliares do Governo estadual que aqui estiveram, passaram estas informações ao governador, visto que já se vão dois meses da última reunião que discutiu esta crise e o silêncio incomoda os itapetinguenses, que querem a cidade com a economia reaquecida e aguardam uma manifestação do governo do Estado. A população espera uma atitude quanto ao grave quadro de desemprego pelo qual passa a região do Médio Sudoeste. Caso o Governador Wagner deixe no gerúndio, “vendo”, terá perdido a oportunidade de fazer o papel do desenvolvimento horizontal, pois o modelo de desenvolvimento vertical, através da atração de grandes empresas mostra-se frágil, com o ocorrido com a Vulcabrasa|azaleia. Caso o governador decida favorável acatando o documento entregue pela AIT aos técnicos quando aqui estiveram, documento que aponta os caminhos dos novos postos de trabalho, Wagner passará a ser a figura promissora aos olhos de Itapetinga e região. Pois aí estará o primeiro passo para apostar nas pequenas soluções, porém consistentes: 100 empresas gerando em torno de vinte empregos, parece mais seguro que quem gera milhares, mas que ficam ao sabor do mercado internacional.

A propósito, a Executiva Municipal do PCdoB de Itapetinga, já manifestou sua preocupação ao Presidente Estadual do Partido, o Dep. Daniel Almeida quanto à necessidade de que o Governo do Estado se pronuncie sobre as reivindicações feitas pelo setor empresarial, o Fórum de Entidades não Governamentais, AIT, como também sobre o relatório do grupo de trabalho do governo que veio a nossa cidade.

Portanto, fica aqui o nosso registro de que dias melhores virão, visto que temos grupos e pessoas em nossa cidade preocupados com o futuro, mesmo diante da falta de apetite político do grupo do prefeito municipal em buscar soluções viáveis para a crise econômica de Itapetinga.

 

* Gilson de Jesus é

Funcionário público e dirigente do PCdoB

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário