Exames no DPT prejudicados por falta de legista

O que fazer com as pessoas que precisam ser submetidas a exame de corpo de delito (lesão corporal e estupro)? Essa tem sido a preocupação dos delegados da 21ª Coorpin neste mês de dezembro. A questão é que o único médico-legista de Itapetinga está em gozo de férias. A saída, encontrada pelo Departamento de Polícia Técnica, é encaminhar as vítimas para o DPT de Vitória da Conquista, distante 100 quilômetros.

O fato se repete desde 2011, quando um dos dois médicos se aposentou. Naquele período, muitos exames deixaram de ser feitos e prejudicaram o andamento de procedimentos, a exemplo de inquéritos e Termos Circunstanciados de Ocorrência.

As vítimas, muitas vezes fragilizadas, não podiam ir a Vitória da Conquista. Em outros casos, elas não possuíam nem mesmo dinheiro para pagar o transporte.

O problema é grave e necessita urgente de uma resolução por parte das autoridades.

 

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário