Convenção do PT: Justiça Eleitoral barrou carreata

A estratégia montada pelo PT para dar movimento à sua convenção que aconteceu durante todo este sábado saiu pela culatra. A Polícia foi acionada pela Juíza Eleitoral para frear a ação de 150 moto-taxistas que estariam a serviço do PT, ganhando, segundo informações, R$ 30,00 cada para desfilar pelas ruas da cidade carregando a bandeira do partido do prefeito. Os partidos de oposição agiram rápido e representaram junto à Justiça Eleitoral.

Informações dão conta de que, mesmo estando em Salvador, a Juíza Eleitoral entrou em contato com representantes do Judiciário e acionou a PM a fim de barrar a carreata no bairro Clodoaldo Costa. Oficiais de justiça se dirigiram à convenção no Ginásio de Esportes a fim de comunicar a infração, que poderia resultar em prisão dos responsáveis, uma vez que se tratava de propaganda fora do prazo. Como se não bastasse, mototaxistas que tem concessão pública não podem participar de campanha e nem de carreata.

 

Alfredo Cabral abandona convenção

Outro fato inusitado na convenção do PT no Ginásio de Esportes foi a repentina saída do presidente do PSD, Alfredo Cabral de Assis, do movimento. Ele vinha sendo cotado para formar a chapa como vice-prefeito. Há informações de que o vereador teria saído visivelmente irritado da convenção, levando inclusive os filiados do PSD. A reportagem de Dimensão tentou um contato com o vereador até o fechamento da edição, mas não o localizou.

Até o fechamento desta edição as informações a respeito do provável candidato a vice do prefeito de Itapetinga era de que o nome escolhido teria sido o do ex-secretário de Educação Alécio Chaves

 

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário