Casa de Apoio ao Estudante Rural é meta da presidente do Legislativo

Aos 53 anos, Maria José Freitas de Almeida, ou Dona Zezé, como é conhecida pela comunidade itambeense, foi eleita para ocupar uma cadeira no Legislativo. Ela foi a vereadora mais bem votada nas eleições de 2012, obtendo 591 votos. Em 1º de janeiro de 2013, mais uma vitória, seus pares na Câmara Municipal a escolheu como presidente da Casa para o biênio 2013-2014.

Ela diz que leva para este novo desafio o espírito de liderança presente em sua genética, herdado do seu pai, Sidney Almeida, ex-prefeito de Itambé, e o desejo de lutar pela população carente, reforçado durante a convivência com seu esposo, o atual prefeito de Itambé, Ivan Fernandes.

A presidente da Câmara é categórica: “Quero lutar em defesa dos interesses do povo de Itambé, principalmente daquelas pessoas mais sofridas que necessitam de uma maior atenção do poder público. Quero estar ao lado do povo e sempre vou dialogar com o Chefe do Executivo sobre suas ações, para que também tenham esta intenção primeira”, afirma.

Nos primeiros dias a frente do Legislativo Municipal, Dona Zezé realizou um levantamento das contas, preparou relatórios e vistoriou toda a dependência física da casa de leis, observando que a estrutura precisava passar por uma pequena reforma. “Identificamos algumas falhas e por isso colocamos em prática essa reforma, visando dar mais conforto para os vereadores e a comunidade que vai acompanhar as sessões”.

Além disso, a vereadora visitou povoados e o distrito de Catolezinho com o objetivo de planejar, junto com a comunidade, ações que venham solucionar alguns problemas que afligem o município, buscando melhorar a qualidade de vida da população. “O Executivo iniciou a recuperação das estradas vicinais, medida que vai facilitar a vida dos estudantes que trafegam pelas vias rumo as escolas da sede, mas nós queremos mais. Vamos pleitear a implantação da Casa de Apoio ao Estudante Rural”, anuncia.

A ideia de Dona Zezé é criar um ambiente onde os alunos que residem na zona rural e estudam na sede possam receber alimentação saudável e equilibrada, além de atendimento de assistentes sociais, pedagogos e psicólogos, para realizar o acompanhamento da vida familiar e estudantil dessas crianças e jovens. “Estes meninos acordam cedo para pegar o transporte escolar para a sede. Muitas vezes, por falta de tempo ou por algum outro motivo, não conseguem tomar o café da manhã. Ao retornarem para as suas casas partem para a batalha, para trabalhar. É uma vida difícil. Por isso o projeto prevê oferecer a eles a primeira e a segunda refeição do dia e colocar a disposição uma equipe técnica para acompanhar o dia-a-dia e avaliar como está acontecendo o processo ensino-aprendizagem”, explica.

A presidente da Câmara tem muitos outros sonhos. Um deles é o de lutar para que o Executivo coloque em funcionamento no distrito de Catolezinho um Centro de Fisioterapia. “Já estamos realizando estudos. Tenho certeza que o novo governo pretende mudar a realidade da saúde pública em Itambé e por isso vai atender este nosso pedido, criando um espaço com todos os equipamentos necessários para atender aqueles que precisam se recuperar através de tratamento fisioterapêutico”, destaca, observando que o Centro evitará que a população se desloque para a sede ou para outras cidades da região em busca deste serviço.

Com informações do itambeagora.

 

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário