Arnaldo Texeira confirma vontade de governar a cidade e fala de sua saúde

Médico há 31 anos, macaraniense, reside em Itapetinga há 30 anos, ex-vereador e ex-deputado estadual, Arnaldo Texeira atualmente está filiado ao PR e saiu na frente na jornada visando o cargo de prefeito nas eleições municipais que se aproximam. Na sexta-feira, 03, ele visitou a redação de Dimensão acompanhado dos amigos e correligionários José Gustercindo e José Elias Ribeiro. Falou da sua estratégia para ganhar o apoio da comunidade e comentou sobre seu atual estado de saúde, uma vez que vai ter que se submeter a uma cirurgia na próxima semana.

Ele foi entrevistado por Eliene Portella.

 

Jornal Dimensão – O Sr. saiu na frente na divulgação de sua pré-candidatura ao cargo de prefeito, deixando para trás outros prováveis pré-candidatos. Por que tomou esta atitude?

Arnaldo Texeira – Não tive a oportunidade de fazer o que era de minha vontade quando fui vereador e deputado, pois tive apenas mandatos de oposição e no Legislativo, quando a gente não tem o poder de executar, mesmo tendo encaminhado uma série de projetos. Tenho uma vontade de administrar a cidade, me sinto capaz e acho que é possível a gente executar as reclamações feitas pela comunidade. A princípio estamos buscando fortalecer um discurso que já teve algumas oportunidades em Itapetinga e que tentaremos colocar na prática, que é o de fazer um governo popular, ouvir da sociedade o que ela quer e juntos, buscar resolver os problemas existentes.

 

JD – Como tem sido feitos os seus encontros com a comunidade?

A.T. – Nas reuniões que temos feito procuramos falar de gestão, de administração, mas percebemos que as pessoas não conhecem o atual prefeito da cidade. As pessoas tem nos dito que a administração do município é muito ruim. Este é o termo utilizado da Vila Isabel ao Quintas do Sul, nos limites da cidade. Então a gente está fazendo voz com a comunidade, queremos discutir a administração do município que está realmente entregue à própria sorte. A cidade carece de uma série de coisas que a administração pública virou as costas, como por exemplo saúde, segurança, educação, a relação do gestor com os setores que representam produção na cidade. A gente não escuta falar numa ação do atual prefeito a respeito da atual situação da Azaleia, se ela fica aqui ou se sai. E aí também vemos a mesma falta de ação quando se diz respeito à saída de órgãos importantes da cidade como o TCM e a Secretaria da Fazenda e infelizmente a gente não escuta uma voz ativa para falar da questão. Também sabemos que a saúde municipalizou, mas não se escuta nada por parte do administrador sobre o que a comunidade pode ter de benefícios por conta desta municipalização plena ou comando único como chamam. Na verdade o que vemos é que os hospitais credenciados ao SUS e que passarão a receber do município, já começam a ter dificuldade no pagamento da sua folha de pessoal por conta de que estão há mais de 40 dias sem recebimento. Enfim, isto sem falar na carência de conservação das estradas vicinais, etc.

 

JD – Qual a sua opinião a respeito do trabalho da CPI instalada na Câmara de Vereadores, para averiguar possíveis irregularidades do contrato da prefeitura com a Bernardo Vidal?

AT – Do ponto de vista da CPI, ela é uma peça jurídica e política importantíssima. Acho que a Câmara de Vereadores deve ir a fundo buscar documentos que comprovem o que se diz do ponto de vista de irregularidades existentes, até porque CPI não é para perseguir prefeito, mas sim para esclarecer fatos e a nossa sociedade precisa desta resposta. A gente espera que saia desta CPI uma informação correta que possa desvendar esse mistério de mais uma forma de arrecadação que a gente não vê o investimento no município.

JD – Na semana passada chegou a se ventilar na cidade que o médico Arnaldo Texeira teria desistido da pré-candidatura por conta de um sério problema de saúde e que precisaria se submeter a uma cirurgia no sul do país. O que há de verdade nisto?

Arnaldo Texeira – Boatos com meu nome sempre existiram e agora parece que com mais ênfase, por causa desta minha situação de pré-candidato a prefeito. Eu sempre comento com meu pessoal que aquele que se propõe a dirigir o destino administrativo de uma cidade, não há porque esconder a vida dele. As pessoas sabem e eu também disse isto na imprensa falada e nos meus encontros, que tive um problema de saúde, mas que estou buscando resolver. Para isto, fui a São Paulo e dentro em breve estarei indo novamente e voltarei com o problema resolvido e ainda mais disposto a fazer política.

A minha vontade é que as pessoas criadoras destes boatos buscassem um outro meio para tentar tirar a gente do foco. Confirmo que continuo na batalha, esta semana por sinal, fizemos uma reunião na quarta-feira excelente, lá no nosso sítio, que contou com a presença do ex-secretário de Administração Miraldo Mota, a ex-secretária de Desenvolvimento Social Cledilene Batista. Miraldo foi o palestrante, falando da relação administração pública e o quadro funcional da prefeitura, qual a opinião dele, se o que temos satisfaz e porque na opinião dele o prefeito ainda não realizou um concurso obrigatório que cada gestão tem que fazer. Enfim, foi um encontro interessante e que contemplou a todos os que lá estiveram presentes. Nossa vontade é montar um ciclo de palestras no sentido de nos ajudar a construir o projeto dessa nossa caminhada e posso dizer que já começamos.

 

JD – Teremos agora em 2012 uma campanha um pouco diferenciada, com a possibilidade de as oposições se unirem para enfrentar o candidato da situação. Qual sua opinião e a de seu partido a este respeito?

A.T. – Tenho defendido esta tese abertamente de que precisamos unir as oposições para ganhar as eleições, mas acima de tudo com um projeto pautado. Não é suficiente somente unir, é preciso apresentar ao eleitor de Itapetinga um projeto que identifique esta caminhada e convença o eleitor a mudar de direção administrativa, pois se faz necessário. Nesse sentido, em nossas caminhadas temos dito que os partidos que fazem parte da oposição têm os seus pré-candidatos também, a exemplo do Democratas e do PMDB, continuaremos falando sobre isso para que no momento a ser combinado, façamos uma consulta-pesquisa à comunidade, a fim de que ela opine também e a gente possa respeitar esta vontade.

Caso fosse desejo da comunidade a escolha do meu nome, gostaria que as pessoas acatassem isto. Se for o nome de um companheiro de um outro partido político, estarei pronto a me engajar no processo político na defesa deste nome, juntamente com meus companheiros, pois nossa intenção é ajudar a construir dias melhores para Itapetinga.

 

JD – Caso o Sr. fosse eleito, por onde começaria a trabalhar?

A.T. – A gente está discutindo um projeto sobre as necessidades básicas do cidadão. Diria para você que do ponto de vista de saúde já há um drama nessa cidade. E estou falando isso como um médico que trabalha no dia a dia e a comunidade não sabe mais em que porta bater para resolver o problema de sua dor. Este fim de semana por exemplo, estamos de novo vivendo o drama de que as pessoas estão sem cirurgia geral no Hospital Cristo Redentor, funcionando apenas o serviço de urgência. É um dos problemas, mas também precisamos conversar para ter uma nova alternativa de geração de empregos em Itapetinga, pois não podemos ficar apenas na dependência da fábrica de calçados. Queremos a Vulcabras|azaleia sim, e muito mais ainda, buscando outras alternativas.

Também tenho a consciência de que a educação é um grande avanço para uma cidade. Vitória da Conquista é um desses exemplos, avançou no tempo, merecendo ganhar prêmio de desenvolvimento nacional pautado em um trabalho em educação. Conquista conseguiu grandes vitórias como surgimento de universidades federal, privadas e estadual. Foi significante para ajudar a mudar a sua economia. Recentemente em um programa de rádio, o vice-reitor da Uesb, José Luiz Rech, disse que a universidade deixa no município de Itapetinga uma faixa de R$ 12 milhões. Se pudéssemos incrementar isto do ponto de vista de geração de emprego e renda, seria excelente. Já conversamos inclusive com alguns setores da universidade e ela vai ser uma nossa parceira para ajudar a buscar o investimento na área de educação que possa contribuir para o desenvolvimento do município.

 

Um comentário para “Arnaldo Texeira confirma vontade de governar a cidade e fala de sua saúde”