A música

kaluDedicado ao maestro, compositor e violonista Aderbal Duarte e a professora Leniza Souza Santos, da Fundação Movimento de Corais Canto das Artes.

Não há como distanciar-se da música, pois cada dia que passa a gente sente que está mais perto dela e sem a qual não saberia viver. É, sem sombra de dúvida a maior de todas as artes. A mais sublime e a mais eterna. Seria capaz de ficar horas a fio ouvindo canções que encantaram milhões de pessoas, independente da sua nacionalidade. Foi através da genialidade e da música que muitos artistas se imortalizaram, deixando para a humanidade um legado de infinita beleza. A música está presente em todos os momentos das nossas vidas, sejam de alegria ou tristeza. Quando me refiro à música propriamente dita, refiro-me àquela que nos transporta para outra dimensão, que nos deixa extasiado ao ouvir um simples acorde, uma sequência harmônica ou até mesmo a voz como instrumento. É como se a canção tivesse sido escrita especialmente para nosso deleite. A música é tudo isso e muito mais. Mas, é preciso saber ouvi-la e apreciá-la. Temos perdido a formação de novas platéias, convivendo com um público impaciente, desatento e até de certa forma desrespeitoso, sendo incapaz de manter em silêncio frente à execução de um grande arista. Se a música for instrumental a desatenção ainda é maior. É um problema eminentemente cultural que deve ser corrigido desde a iniciação escolar. Em países civilizados é comum as crianças começarem desde cedo a aprender ouvir e se comportar frente a execução de algum virtuose. Para estar à frente de um palco, merecer tal posto, ser ovacionado pela platéia, requer ao artista horas e horas de estudo e dedicação durante toda uma vida. Nenhum artista é completo sem o estudo, a perseverança, a disciplina, a dedicação, alinhando tudo isto ao talento e ao dom. O músico é um ser iluminado. A viagem ao mundo da música passa por vários estilos, desde os mais antigos até os mais modernos. A diversidade é imensa. Temos a música clássica ou erudita, a ópera, o jazz, a valsa, o choro, o bolero, o tango, o fado e tantos outros estilos musicais.

O instrumento de minha paixão sempre foi o piano, melódico e harmônico, com seus graves e agudos, tocados com sensibilidade. Ouvir o piano de Keith Jarrett e Esbjorn Svenson, já nos dá a dimensão da grandiosidade do instrumento. Com outros instrumentos acontecem a mesma coisa. Seja com o violoncelo de Yo Yo Ma, o trompete de Chet Baker, o bandolim de Jacob, a flauta do Altamiro Carrilho, o violão do maestro Aderbal, a guitarra de Eric Clapton, o sax de Stan Getz, o violino de Sarah Chung, a gaita de Toots Thielemans, a sanfona de Sivuca, só para citar alguns, sem desmerecer a plêiade de genias músicos que temos por esse mundo afora. Não me considero um expert em música, mas aprendi durante todo esse tempo ouvir e apreciar com atenção o que há de mais belo no universo musical. Confesso que me emociono e até viajo ao som da música. Durante a existência do Blog do Kalú, que iniciou em fevereiro de 2010, postei uma variedade de vídeos com música de todos os estilos, de tudo que tenho ouvido durante todos esses anos. Por muitas vezes pensei até interrompê-lo, como se o blog pudesse andar com as próprias pernas, achando para mim que já dei minha parcela de contribuição neste mundo virtual. Como tudo na vida tem começo, meio e fim, o blog não pode ser diferente. Espero apenas o momento e a hora certa para hiberná-lo, sabendo que quando a saudade bater, estarei pronto para mais um vídeo de música dedicado aos amigos.

* Carlos Amorim Dutra

carloskdutra@gmail.com

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário